Uma agência que pensa
o futuro do Brasil

Criada em 1951 pelo Governo Federal do Brasil, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), vinculada ao Ministério da Educação (MEC), desempenha papel fundamental na expansão e consolidação da pós-graduação stricto sensu brasileira.

Em 2007, passou também a atuar na formação de professores da educação básica, ampliando o alcance de suas ações na formação de pessoal qualificado no Brasil e no exterior.

As atividades da Capes podem ser agrupadas nas seguintes linhas de ação, cada qual desenvolvida por um conjunto estruturado de programas:

  • avaliação da pós-graduação stricto sensu;
  • acesso e divulgação da produção científica;
  • investimentos na formação de recursos de alto nível no país e exterior;
  • promoção da cooperação científica internacional;
  • indução e fomento da formação inicial e continuada de professores para a educação básica nos formatos presencial e a distância.

A Capes tem sido decisiva para os êxitos alcançados pelo Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG), tanto no que diz respeito à consolidação do quadro atual, como na construção das mudanças que o avanço do conhecimento e as demandas da sociedade exigem.

Estrutura

A Capes possui sete diretorias que coordenam estrategicamente as ações da agência. São elas:

Diretoria de Avaliação (DAV)
Diretoria de Educação a Distância (DED)
Diretoria de Formação de Professores da Educação Básica (DEB)
Diretoria de Gestão (DGES)

Diretoria de Programas e Bolsas no País (DPB)
Diretoria de Relações Internacionais (DRI)
Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI)

Diretoria de Avaliação (DAV)

Responsável pela avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu. As principais ações coordenadas pela DAV são: avaliação das propostas de cursos novos e de propostas Minter/Dinter; Avaliação Trienal; Coleta Capes.

Diretoria de Educação a Distância (DED)

Criada em 2007, a A DED articula, coordena e fomenta cursos gratuitos de nível superior na modalidade a distância, ministrados por instituições de ensino superior públicas. Os principais programas da DED são: Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB); Programa Nacional de Formação em Administração Pública (PNAP); Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor a distância); e o programa de Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (Profmat).

Diretoria de Formação de Professores da Educação Básica (DEB)

Também criada em 2007, a diretoria é responsável pelos programas voltados à formação docente. Entre os principais programas estão: o de Consolidação das Licenciaturas (Prodocência); Parfor presencial; o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid); e o programa Novos Talentos.

Diretoria de Gestão (DGES)

Gestão orçamentária e administrativa da Capes. A DGES também é responsável pelos programas voltados aos servidores da instituição, como o de Qualidade de Vida.

Diretoria de Programas e Bolsas no País (DPB)

Responsável pela coordenação da concessão de bolsas no país. As bolsas são oferecidas aos programas de pós-graduação recomendados pela Capes e geridas em parceria com as pró-reitorias das instituições de ensino superior. Além do tradicional programa de bolsas, existem programas de fomento voltados para os cursos de excelência, para a qualificação de docentes e para apoio à realização de eventos no país.

Diretoria de Relações Internacionais (DRI)

A diretoria foi criada em 2007 a partir de uma coordenação de cooperação internacional. A DRI coordena a concessão de bolsas da Capes no exterior, promove parcerias por meio de cooperação com universidades e instituições de mais de 40 países e coordena programas como o Ciência sem Fronteiras.

Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI)

A nova Diretoria de Tecnologia da Informação, criada em 2012, tem o objetivo de prover soluções de Tecnologia da Informação e Comunicação que contribuam para o cumprimento da missão institucional da Capes.

Linha do tempo

  • DÉCADA DE 50

    A Capes foi criada em 11 de julho de 1951, por meio do Decreto nº 29.741, como uma comissão destinada a promover o aperfeiçoamento de pessoal de nível superior. O grande idealizador da Capes, o educador Anísio Spínola Teixeira, foi designado secretário-geral da comissão. Autonomia, informalidade, boas ideias e liderança institucional tornaram-se marcas dos primeiros anos da Coordenação.

    img-time
  • DÉCADA DE 60

    Em 1961, foi criada a maioria das universidades que não existiam nos primeiros nove anos da instituição. Com a ascensão militar em 1964, o professor Anísio Teixeira deixa seu cargo e uma nova diretoria assume a Capes, que volta a se subordinar ao Ministério da Educação e Cultura (MEC). O ano de 1965 é de grande importância para a pós-graduação: é publicado o Parecer Sucupira, que conceituou e normatizou a pós-graduação no Brasil. No mesmo ano, 27 cursos são classificados no nível de mestrado e 11 no de doutorado, totalizando 38 no país.

    img-time
  • DÉCADA DE 70

    Em 1970, são instituídos os Centros Regionais de Pós-Graduação. No mesmo ano, a Capes tem sua sede transferida do Rio de Janeiro para Brasília. Em julho de 1974, a estrutura da Capes é alterada pelo Decreto nº 74.299 e seu estatuto passa a ser "órgão central superior, gozando de autonomia administrativa e financeira". O processo de avaliação dos programas de pós-graduação é instituído em 1976.

    img-time
  • DÉCADA DE 80

    A Capes é reconhecida como órgão responsável pela elaboração do Plano Nacional de Pós-Graduação Stricto Sensu, em 1981. É também reconhecida como Agência Executiva do MEC junto ao sistema nacional de ciência e tecnologia, cabendo-lhe elaborar, avaliar, acompanhar e coordenar as atividades relativas ao ensino superior. Em 1985, foi criado o Ministério da Ciência e Tecnologia e foi preciso costurar uma nova forma de relacionamento, para que não houvesse conflito entre as políticas do MEC e do novo ministério.

    img-time
  • DÉCADA DE 90

    No governo Collor, a Medida Provisória nº 150, de 15 março de 1990, extingue a Capes, desencadeando intensa mobilização. As pró-reitorias de pesquisa e pós-graduação das universidades mobilizam a opinião acadêmica e científica que, com o apoio do MEC, conseguem reverter a medida. Em 12 de abril do mesmo ano, a Capes é recriada pela Lei nº 8.028. Já em 1992, a Lei nº 8.405, de 9 de janeiro, autoriza o poder público a instituir a Capes como Fundação Pública, o que confere novo vigor à instituição. Nesta década foi criada a atual logomarca da Capes.

    img-time
  • ANOS 2000

    O marco do ano 2000 é a criação do Portal de Periódicos da Capes. Também nesta década, o Congresso Nacional aprova por unanimidade, a Lei nº 11.502/2007. Cria-se assim a Nova Capes, que também passa a induzir e fomentar a formação inicial continuada de professores para a educação básica. Em 2009, a Capes muda para o edifício sede, deixando o anexo I e II do MEC.

    img-time
  • DÉCADA DE 2010

    Em 2011, a Capes recebeu uma nova atribuição: coordenar, juntamente com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, o Ciência sem Fronteiras, programa do Governo Federal, que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional. A iniciativa é fruto de esforço conjunto dos ministérios da Educação (MEC) e da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), por meio de suas respectivas agências de fomento – Capes e CNPq. Também em 2011 foi publicado o Plano Nacional de Pós-Graduação (PNPG 2011-2020). O documento orienta as políticas públicas para o desenvolvimento da pós-graduação e sua contribuição à educação básica.

    img-time

Publicações

Veja aqui as publicações comemorativas da Capes:

Livro Capes, 50 anos

Ao longo de seus 50 anos, o êxito da Capes, hoje Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, tem se expressado na expansão e consolidação da pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) em todos os estados da federação — uma das maiores conquistas da nossa política educacional e de Ciência & Tecnologia.

Leia aqui

Revista comemorativa Capes 60 anos

Ao completar 60 anos, a Capes passa em revista sua história, destaca ações presentes e apresenta os desafios e metas para o futuro. Para recuperar e aperfeiçoar o contar dessa trajetória – que se confunde com a da pós-graduação brasileira – essa publicação discorre sobre as últimas seis décadas, com início no segundo governo Vargas em 1951, quando da criação da Capes.

Leia aqui

Folder Capes 65 anos

O material destaca as principais ações da Capes após a publicação da revista comemorativa Capes 60 anos. O folder aborda os seguintes temas: Internacionalização, Programas e Bolsas no País, Avaliação, Educação Básica, Ações Afirmativas, Premiações, Livros, Bolsas e crescimento do Sistema Nacional de Pós-graduação (SNPG).

Leia aqui

Veja a Revista Brasileira de Pós-Graduação (RBPG):

RBPG

Lançada em agosto de 2004, a RBPG é voltada à divulgação de estudos, experiências e debates sobre a pós-graduação, sua situação, desafios, políticas e programas. De periodicidade semestral, está estruturada em quatro seções: Estudos, Experiências, Debates e Documentos. Com uma média de 15 mil acessos por trimestre, a publicação é disponibilizada para todas as bibliotecas e vários centros de informação do país e do exterior, além de se encontrar disponível no portal da Capes.

Leia aqui

Prêmios



Prêmio Vale-Capes

Realizado pela primeira vez em 2012, o Prêmio Vale-Capes seleciona as melhores teses de doutorado e dissertações de mestrado defendidas em temas como redução do consumo de água, reciclagem de resíduos, redução de gases do efeito estufa e tecnologias socioambientais.

Prêmio Capes-Interfarma de Inovação e Pesquisa

O Prêmio Capes-Interfarma de Inovação e Pesquisa, parceria firmada em 2014, é outorgado para as duas melhores teses de doutorado relacionadas à Inovação e Pesquisa na Área de Saúde Humana ou Ética/Bioética no Brasil, nas áreas e subáreas de avaliação Medicina, Odontologia, Farmácia, Enfermagem ou de Ciências Biomédicas.

Prêmio Capes Natura-Campus de Excelência em Pesquisa

Parceria com a multinacional brasileira de cosméticos, o Prêmio Capes Natura-Campus de Excelência em Pesquisa, lançado em 2015, seleciona artigos de alta relevância e impacto para o desenvolvimento científico e tecnológico voltados à sustentabilidade e biodiversidade.

Prêmio Anísio Teixeira

O Prêmio Anísio Teixeira, criado em 1981, homenageia personalidades brasileiras que tenham contribuído de modo relevante para o desenvolvimento da pesquisa e formação de recursos humanos no país. Em 2013, foi instituído o Prêmio Anísio Teixeira de Educação Básica. Em sua primeira edição, o educador Paulo Freire foi o homenageado.



O Prêmio é outorgado anualmente às melhores teses de doutorado selecionadas em cada uma das 48 áreas do conhecimento reconhecidas pela Capes nos cursos de pós-graduação pertencentes ao Sistema Nacional de Pós-Graduação. A premiação é constituída pelo Prêmio Capes de Tese e Grande Prêmio Capes de Tese, em parceria com a Fundação Conrado Wessel. Veja os dados dos últimos cinco anos:



No período de 2011 a 2015, foram premiadas 441 teses e outras 732 teses receberam Menções Honrosas

Distribuição de teses inscritas por região - 2011 a 2015


No período de 2011 a 2015, foram inscritas 4.852 teses de doutorado