Prêmio CAPES de Tese Notícias pct Dra. Stela Regina Fischer

Dra. Stela Regina Fischer

Publicado: Quarta, 12 Dezembro 2018 18:31 , Última Atualização: Quarta, 09 Janeiro 2019 15:28

Área

 Artes

Tese

 Mulheres, performance e ativismo: a ressignificação dos discursos feministas na cena latino-americana

Orientadora

 Elisabeth Silva Lopes

Programa

Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da USP

Entrevista

Atriz e diretora teatral graduada pela Faculdade de Artes da Universidade Federal do Paraná (Unespar), mestre em Artes pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e doutora pela Universidade de São Paulo (USP). Autora do livro “Processo colaborativo e experiências de companhias teatrais brasileiras”, é fundadora do Coletivo Rubro Obsceno que desenvolve trabalhos artísticos com diferentes grupos de mulheres (em situação de violência, soropositivas, em situação de cárcere etc.), com ênfase nos feminismos contemporâneos e estudos de gênero. Sua tese “Mulheres, performance e ativismo: a ressignificação dos discursos feministas na cena latino-americana” foi indicada para receber o Prêmio CAPES de Tese 2018.

De onde surgiu o interesse em trabalhar com o tema da sua tese?
A temática desta pesquisa esteve presente em minhas inquietações cotidianas, de modo indireto, muito antes de ingressar no doutorado. Na minha formação, desde as séries iniciais até a universidade, os estudos feministas não foram abordados, pois o debate político sobre gênero no sistema educacional brasileiro é, por vezes, escasso, controverso ou blindado. A genealogia dos meus estudos feministas aconteceu na relação direta com movimentos sociais e nas frestas dos ensinos em artes talhadas por uma dinâmica muitas vezes autodidata - embora sempre em diálogo com professoras e colegas - nos quais pude experimentar a interlocução entre pesquisa acadêmica, arte, cidadania e modos de existir, considerando as reivindicações e saberes feministas. E na continuidade do meu percurso profissional nas Artes Cênicas, o tema da tese este totalmente integrado à minha prática artística que está em diálogo com as teorias críticas dos feminismos.

Como foi o processo de formulação da tese?
A tese “Mulheres, performance e ativismo: a ressignificação dos discursos feministas na cena latino-americana”, defendida junto ao Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas e orientada pela professora Elisabeth Silva Lopes, do Departamento de Artes Cênicas (CAC) da USP, teve apoio financeiro da FAPESP – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, para a sua realização. Durante o andamento da pesquisa participei de eventos internacionais em teatro e performance (como os encontros promovidos pelo Hemispheric Institute of Performance and Politics, vinculado à New York University, nos quais estabeleci contatos com mulheres artistas da América Latina, impulsionando a minha reflexão crítica sobre o fazer artístico em diálogo com as teorias críticas feministas. Foram analisadas performances e espetáculos teatrais de mulheres artistas latino-americanas que despertam reflexões sobre o corpo, a subjetividade e as políticas das mulheres. Houve também um estudo de campo para acompanhar processos criativos em Artes Cênicas referentes às mesmas temáticas, juntamente com uma reflexão sobre o meu próprio fazer artístico, alinhando a teoria à prática sobre criação autoral performática, feminista e política.

Qual o impacto social da sua pesquisa?
O desenvolvimento da tese foi motivado pelos feminismos e na revisão de teses eurocêntricas na academia, valorizando as teorias latino-americanas, como os estudos decoloniais. Para tanto, utilizei somente bibliografia de autoras mulheres como forma de valorizar nossas vozes na academia. Dessa forma, a tese impulsiona abordagens de outras epistemologias e estabelece uma reação crítica diante da – ainda – predominância dos saberes hegemônicos e/ou androcêntricos institucionais. A intenção é gerar rupturas contra o silenciamento histórico das mulheres na universidade. Ações pedagógicas e curriculares nas universidades brasileiras relacionadas ao feminismo ainda são tidas como exceções. A pesquisa também propõe uma mirada em direção à crescente disseminação dos estudos feministas e de gênero nos programas de graduação e pós-graduação em Artes Cênicas em diversas instituições brasileiras. E incentiva à inclusão de disciplinas curriculares, criação de encontros e núcleos de pesquisas teóricas e artísticas, e de frentes pedagógicas associadas aos estudos feministas, identitários e decoloniais na formação da/o artista.

O que representa receber o prêmio CAPES de tese?
Ganhar este prêmio representa a continuidade dos meus estudos, uma vez que os ganhadores são agraciados com bolsa de estudos da CAPES para pós-doutoramento. É com muita alegria, gratidão e entusiasmo que farei um aprofundamento da pesquisa que irá refletir nas minhas aulas, grupos de estudos e orientações a alunos.

 

(Brasília – Lucas Brandão para CCS/CAPES)
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura CCS/CAPES

Compartilhe o que você leu